http://www.tudoporaqui.com.br
Registro | Login
Localidade

Tudo Por Aqui Facilita a presena de ME's e EPP's na Internet

Publicado em: 07/09/2011 por Tudo Por Aqui/Divulgao

Tudo Por Aqui Facilita a presena de ME's e EPP's na Internet
  • Portas Reck
  • Transterci
  • MTS Carimbos

Clique aqui ou nas fotos para iniciar o slideshow.

mais fotos »

Desde os primórdios de sua evolução o ser humano exerce atividades econômicas e com o passar dos tempos elas evoluíram em organização e funcionamento, mas somente nas últimas décadas passaram a ser reconhecidas como importantes e a ter tratamentos diferenciados.

 

No Brasil este reconhecimento ganhou impulso somente no final da segunda metade do Século 20, quando passaram a chamar atenção do governo e a contar com órgãos e medidas de apoio.

 

Dentre os órgãos de apoio destaca-se o Sebrae que muito tem feito para as micro e pequenas empresas.

 

No âmbito da legislação só mais recentemente foram adotadas medidas concretas, e dentre elas está a Lei Geral da Pequena Empresa e Empresa de Pequeno Porte.

 

Assim, do site www.sebrae.com.br extraimos as seguintes informações:

“O segmento dos pequenos negócios é um dos principais pilares de sustentação da economia nacional, tanto pelo número de estabelecimentos e distribuição geográfica, quanto pela sua capacidade de gerar empregos. Ainda que reconhecida sua importância socioeconômica, o setor encontra sérios obstáculos ao seu crescimento, sustentabilidade e competitividade.”

 Não há portanto, como cogitar de um novo modelo de desenvolvimento que não esteja baseado nos pequenos negócios.
http://www.leigeral.com.br/portal/main.jsp?lumPageId=FF8081812658D379012665B59AC01CE8

 

Histórico

 No começo de 2004, o Brasil teve diante de si uma oportunidade decisiva para responder positivamente aos desafios do crescimento econômico, da geração de empregos e da distribuição de renda. 

Com a promulgação da Reforma Tributária, em 19/12/2003, abriu-se o caminho para o fortalecimento das pequenas empresas, a alternativa mais eficaz para viabilizar a geração de emprego, o crescimento econômico e a inclusão social na atualidade. Agora existe uma Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas, estabelecendo e regulamentando os estímulos e incentivos para o setor, como a introdução de um sistema mais simples e justo de pagamento de impostos e contribuições, crédito facilitado, redução da burocracia e maior acesso às compras governamentais, às exportações e às novas tecnologias. http://www.leigeral.com.br/portal/main.jsp?lumPageId=FF8081812658D379012665B59AB31CE5

 

 Simples Nacional

É uma parte do Estatuto Nacional da Microempresa e Empresa de Pequeno Porte, também conhecido como Lei Geral da Micro Empresa e Empresa de Pequeno Porte. Com a Lei Geral os benefícios vão além dos tributários.
http://www.leigeral.com.br/portal/main.jsp?lumPageId=FF8081812658D379012665B59AC01CE8

 

 

Com a evolução tecnológica e em especial com a criação da internet  a comunicação entre as pessoas passou a ser globalizada, entretanto a grande maioria das Pequenas e Médias Empresas ainda não usufruem dos seus benefícios.

 

Com o www.tudoporaqui.com.br é muito fácil e barato para as Microempresas e Empresas de Pequeno Porte estarem na internet com domínio próprio e qualidade profissional.

 

As etapas são:

1 – Acessar www.tudoporaqui.com.br;

2 – Fazer o seu Registro clicando no campo apropriado e criar um usuário e senha;

3 – Escolher o Nível desejado (Gratuito ou Assinante( 1))

      ( 1) Micro Empresas e Empresas de Pequeno Porte assim registradas

             no CNPJ contam com 40% de desconto sobre o preço da assinatura

             anual existente na tabela de preços.

4 – Inserir as informações requeridas no formulário próprio do módulo de edição

      e demais funcionalidades

5 – Clicar em “Enviar”

6 – Aguardar a liberação, que acontece em no máximo 6 horas.

7 – Desejando ter um domínio próprio (www) (2) encaminhar mensagem através do

      nosso Fale Conosco  manifestando tal intenção.

      (2) De acordo com as diretrizes do registro.br  o custo anual para

           manutenção do domínio é de R$ 30,00

 

Adiante, alguns exemplos de Microempresas e Empresas de Pequeno Porte que já adotaram o www.tudoporaqui.com.br para estarem na internet.

MTS Carimbos

 

Arausul

 

Santpar

A Comunicao da Pequena e Mdia Empresa - Importncia de uma comunicao bem-feita !

Publicado em: 22/06/2011 por Tudo Por Aqui/Divulgao

A Comunicao da Pequena e Mdia Empresa - Importncia de uma comunicao bem-feita !
Pela relevância que o tema "Comunicação" representa para todas as empresas, e em especial as micro e pequenas, reproduzimos adiante matéria completa publicada no site da Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios, que pode ser acessado na sua origem clicando AQUI.
 
 
“A comunicação da pequena e média empresa precisa deixar de ser vista como ‘desperdício’”, diz especialista
 

Paulo Nassar, professor da USP e diretor da Aberje, comenta a importância de uma comunicação bem-feita entre empresas e clientes

Por Lorena Vicini

A apresentação de um novo produto com erros de português, um site feito sem cuidado, uma abordagem menos polida em um email. Embora todo empresário esteja sujeito a esses incidentes, a comunicação entre empresa e cliente é essencial na hora de lançar um novo produto ou informar sobre uma mudança. Muitas vezes relegada ao segundo plano, uma comunicação feita sem o devido cuidado pode surtar de maneira inversa e fazer a antipropaganda do produto e, por consequência, da própria empresa.

O professor da USP e diretor da Associação Brasileira de Comunicação Empresarial Paulo Nassar conversou com a Pequenas Empresas & Grandes Negócios sobre como fazer com que a comunicação seja um trunfo do empresário e influa positivamente para a marca.

1) A comunicação, embora muitas vezes não esteja entre as prioridades do empresário, é muito importante, pois é o canal com o público. Como comunicar seus clientes que você executou uma inovação que pode trazer vantagens ao público?

A comunicação da pequena e média empresa precisa deixar de ser vista como “desperdício” de dinheiro, coisa para uma segunda etapa do negócio, instrumento das grandes empresas. Um dos principais motivos disso é que os negócios, as empresas independente do seu tamanho, são cada vez mais pressionados um por um consumidor fortalecido pela violenta concorrência entre empresas que lhe oferecem um extenso leque de produtos/serviços com preços, qualidade e outras vantagens superiores. O planejamento de Comunicação passa a ser, para o pequeno negócio, tão importante quanto o plano de voo é para o piloto de avião. A questão que se coloca é o custo da transformação de conhecimento em valor. Como destacado por inúmeros estudiosos do trabalho no ambiente do imaterial, a inovação, a produção de valor, não se dá a partir da homogeneidade, do padrão, mas da diversidade de interpretações e de formas de viver e de se comportar. A pequena empresa tem de combater usando principalmente os diferenciais, as qualidades de suas pessoas, principalmente do dono do negócio, que deve ser literalmente um “animal comunicador e relacionador”.

2) Que tipos de cuidados os empresários devem ter ao comunicar uma inovação?
A comunicação excelente deve estar relacionada e sincronizada ao contexto social, político, ambiental, pessoal, exigindo das empresas mais habilidade e versatilidade para contemplar todos estes aspectos e fazer com que a comunicação desperte interesse. A boa comunicação empresarial estimula a inovação. A cópia não tem história. Nesse sentido, o pequeno empresário tem que estar extremamente informado sobre o que acontece no mundo, em seu país, e essencialmente em seu bairro, em sua rua.

3) A comunicação em si sofreu uma inovação. Hoje são muitos os meios de comunicação entre um empresário e seu cliente. Como usar adequadamente as mídias sociais? Que papel os velhos meios de comunicação, como o telefone e a correspondência por correio, passaram a executar?
Quem está dentro de uma organização precisa ter uma inteligência estratégica. Na era digital, a informação é uma commodity e se o profissional trabalha com a informação em sua forma bruta, ele não terá valor. É preciso fazer uma interpretação qualificada e criar um valor ao seu trabalho. Ao telefone, o cuidado com a comunicação deve ser maior do que em outras mídias, principalmente devido à instantaneidade das interações. A preocupação com o que é dito, e de que forma a informação é transmitida pode fazer a diferença entre um cliente satisfeito e uma crise de imagem que pode arruinar os negócios. As formas impressas de comunicação ainda possuem lugar na sociedade do conhecimento, na medida em que optamos por uma perenidade maior das mensagens, bem como a possibilidade de acesso às informações sem necessidade de nenhum facilitador eletrônico, tais como computadores e celulares.

4) Que tipo de atitude antes era usada na comunicação entre empresa e cliente e hoje não é mais?
Desconhecimento das técnicas de gerenciamento e relacionamento com o cliente, falta de retorno de uma reclamação, não dar a voz para o consumidor expressar-se e relacionar-se com a empresa. Hoje, com as redes sociais, a reclamação não atendida pode se transformar em vídeo, em e-mail, em tuite (post no Twitter), que percorrem o mundo em questão de segundos. As empresas relutam em expor-se nas redes sociais com receio de não controlar o que é exposto sobre suas ações, sua reputação. Os administradores devem perceber as redes sociais como um canal onde os consumidores podem se relacionar com a empresa de forma transparente, envolvendo e cativando o cliente com a filosofia da empresa.

5) Que tipo de atitude na comunicação entre empresa e cliente nunca sai de moda?
Atenção, respeito, diálogo e ética nas relações. As empresas devem compreender a visão e as razões de ser dos outros, seus públicos, as redes sociais com que se relaciona e os impactos causados por sua organização ao meio ambiente.

6) Se fosse dar um conselho para o empreendedor na hora de se comunicar com o cliente nos dias de hoje, que conselho seria?
Uma das principais causas da mortalidade infantil das pequenas empresas é o analfabetismo de seus gestores em comunicação. Outro ponto é conhecer o ambiente aonde o negócio vai se inserir, o público que irá consumir seus produtos e serviços e adequar a comunicação à sua linguagem. Os consumidores têm que se identificar com a empresa, seus valores, sua identidade, por que na hora da escolha pelo produto ou serviço, eles escolherão o mais alinhado às suas crenças.